SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
PERFIL DA MORBIDADE HOSPITALAR INFANTIL POR DOENÇA DE HODGKIN NO ESTADO DO TOCANTINS, COMPARADO COM O NORTE E O BRASIL, POR FAIXA ETÁRIA, NO PERÍODO DE 2013 A 2018.
Julyana Pereira de Andrade, Gleiziane Sousa Lima, Julia Gonçalves Resende, Manuela Bandeira da Silva, Lysis Olimpio Sousa, Rosangela Giovelli da Silveira

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: O linfoma de Hodgkin é o tipo de câncer caracterizado pela proliferação de linfócitos neoplásicos; caracterizado pela presença de células malignas binucleadas, ocorrendo em qualquer faixa etária, sendo na adolescência o período de maior prevalência. Objetivos: Analisar a morbidade hospitalar por Doença de Hodgkin no estado do Tocantins, Norte e Brasil, estratificadas por faixa etária. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa retrospectiva-descritiva desenvolvida a partir de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram analisadas as taxas de morbidade hospitalar, segundo categoria Lista Morb CID-10: Doença de Hodgkin no Tocantins, Norte e Brasil. Foi considerado para análise os períodos entre julho de 2013 e junho de 2018. Foi utilizada a faixa etária do nascimento até aos 39 anos. Resultados: No Brasil, foram identificadas 15.283 internações por Doença de Hodgkin. Dessas, 523 correspondem as ocorridas no Norte, sendo 13,76% desse valor referente ao Tocantins, com 72 internações em todo estado. Entre os estados do Norte, Pará apresentou o maior número de internações correspondendo a 46,65% do total, com maior incidência na faixa dos 15 aos 19 anos com 69 casos. Enquanto Amapá apresentou o menor número, com apenas 3 internações. A faixa etária com maior incidência no Brasil foi dos 20 aos 29 anos, correspondendo a 35,79% do total de casos. No Norte, as faixas etárias que apresentaram maior número de internações, ambas com 117 casos, foram dos 15 aos 19 anos, e dos 20 aos 29 anos. No Tocantins a partir da faixa dos 10 aos 14 anos que aparecem os primeiros casos, com o pico no número de internações na faixa dos 30 aos 39 anos. Conclusões: A morbidade hospitalar por Doença de Hodgkin no Brasil apresentou uma significativa prevalência no período analisado, tendo o Tocantins o terceiro maior número de casos do Norte. O linfoma de Hodgkin é raro em crianças com idade abaixo de cinco anos, sendo mais frequente em adolescentes e jovens dos 15 aos 29 anos de idade, seguido de jovens adultos entre 30 e 39 anos. Assim, o número de casos ocorridos no Tocantins acompanha a tendência nacional e corrobora com a literatura, uma vez que apresenta, na infância, o maior número de casos durante a adolescência, dos 10 aos 19 anos.  Apesar de ser uma doença maligna, a Doença de Hodgkin é de bom prognóstico na população pediátrica (SOUZA, L. N. S. et al. 2010).

Descritores: DOENÇA DE HODGKIN. LINFOMA. CÂNCER. MORBIDADE. EPIDEMIOLOGIA.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.