SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
RELAÇÃO ENTRE O NÚMERO DE INTERNAÇÕES POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS E O DE QUEIMADAS NO ESTADO DO TOCANTINS
Vanessa das graças Pinto, Kelvin Mendes Carvalho, Izabella Chaves Parreira, Patrícia da Silva Soares, Andréia Fernandes Bastos

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: As queimadas têm ganhado espaço no âmbito da saúde pública, haja vista seu potencial influenciador na incidência de afecções respiratórias devido à alta taxa de material particulado liberado por essa fonte de emissão. Objetivo: Verificar se há relação significativa entre o número de queimadas e o número de internações por afecções respiratórias em crianças de 1 a 9 anos de idade do estado do Tocantins, relacionar a incidência de internações devido as principais doenças respiratórias desencadeadas por material particulado com o número de queimadas, verificar se há relação significante. Material e métodos: Foi realizado um estudo ecológico de série temporal com dados, disponíveis no site DATASUS-TABNET, relativos a internações por doenças respiratórias no estado do Tocantins na faixa etária de 1 a 9 anos de idade, no período de 01 de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2017. Em seguida, foi levantado o número de internações no mesmo período e na mesma faixa etária, ainda no site DATASUS-TABNET, das seguintes doenças respiratórias: pneumonias, asma, bronquite e bronquiolite agudas, traqueíte e laringite agudas. Os dados relativos ao número de focos de incêndio no estado do Tocantins entre os anos de 2010 a 2017, foram coletados no banco de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do Sistema de Informações Ambientais Integrado à Saúde Ambiental (SISAM). Foi realizado o teste estatístico Qui-quadrado, com nível de significância a 5%, buscando evidenciar relação entre as variáveis. Resultados: Foram notificadas 1.435.951 queimadas no período analisado, sendo o ano de 2017 o com maior prevalência (18%). No mesmo período, foram notificadas 78.078 internações por doenças respiratórias, sendo as pneumonias a mais prevalente entre as doenças analisadas (23,8%), o ano onde mais ocorreram internações por doenças respiratórias, inclusive ao analisar as doenças específicas, foi o ano de 2010 (16,3%), sendo as pneumonias responsáveis por 24,9% do total internações naquele ano, a asma por 4,68%, bronquite e bronquiolíte agudas por 0,61% e traqueíte e laringite por 0,49%. Não houve diferença significativa entre as variáveis (p>0,05). Conclusão: A incidência de internações por afecções respiratórias no Tocantins decaiu ao longo dos anos, enquanto a de incêndios aumentou, sendo inversamente proporcionais as variáveis. Tendo em vista os diversos estudos que comprovam a relação entre as queimadas e os agravos respiratórios no Brasil, é possível apontar as subnotificações como um dos principais responsáveis pela ausência de significância entre as variáveis.

 

Descritores: Doenças respiratórias. Hospitalização. Incêndios florestais. Prevalência.

 


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.