SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
CARCINOMA MEDULAR DA TIREOIDE COM ALTERAÇÃO DO HORMÔNIO CALCITONINA COMO ACHADO CLÍNICO DE DIAGNÓSTICO
Renata Nogueira Nascimento, Manuela Bandeira da Silva Filha, Rodrigo Disconzi Nunes, Raylla da Silva Santos, Ana Iris Pereira Chaves, Vanessa Borges Abreu

Última alteração: 2018-10-11

Resumo


Introdução: A tireoide secreta dois principais hormônios a tiroxina e a triiodotironina (T4 e T3) e também a calcitonina (Ct), sendo esse o principal produto secretado do Carcinoma Medular da Tireoide (CMT). Pode apresentar-se de duas formas: esporádica, ou ainda como doença hereditária autossômica dominante. Objetivo: Identificar a relevância da Calcitonina como achado clínico do Carcinoma Medular da Tireoide. Verificar a ocorrência do CMT de acordo com suas formas fisiopatológicas e possíveis tratamentos. Métodos: Este estudo constitui-se de uma revisão da literatura, na qual realizou-se consulta a livros e artigos científicos. Pesquisou-se periódicos presentes nas revistas Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Arquivo Brasileiro de Endocrinologia e Metabolismo e também fez-se uma revisão detalhada em artigos da SCIELO entre 2013 e 2017, utilizando como descritores neoplasia, carcinoma medular, calcitonina e tireoide. Resultados: O CMT representa cerca de 5 a 10% dos tumores malignos da tireoide e tem origem nas células parafoliculares ou células C, produtoras de calcitonina (Ct). Pode apresentar-se na forma esporádica (de 75 a 80%) ou hereditária (20 a 25%). As características manifestam-se distintamente nos dois casos: na forma esporádica, o tumor apresenta-se como uma massa isolada, já na forma hereditária há o acometimento de ambos os lobos é multicêntrica e pode apresentar dor. Considera-se que em pacientes com suspeita de CMT, seu diagnóstico deve ser feito com a utilização da calcitonina basal como biomarcador. Entretanto, apesar de poucos casos, 0,83% relatados na literatura, o CMT pode apresentar-se também como não secretor, quando os níveis séricos de calcitonina estão normais ou ligeiramente aumentados. Dessa forma, para tratamento adequado, a tireoidectomia total é a forma mais indicada, visto que há a multicentricidade do tumor. Além disso, o CMT não responde a radioterapia ou terapia supressiva com hormônio tireoideano, neste caso a levotiroxina. Conclusão: A calcitonina está presente como fator de diagnóstico clínico nas duas formas do carcinoma. Além disso, a forma mais comum de apresentação do CMT é a esporádica e a tireoidectomia é o principal tratamento para esse tipo de carcinoma.

Descritores: Neoplasia. Carcinoma medular. Calcitonina. Tireoide.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.