SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
EPIDEMIOLOGIA DA PNEUMONIA NO MUNICÍPIO DE GURUPI NO PERÍODO ENTRE JANEIRO DE 2016 E JUNHO DE 2018
Ana Vitória Souza Corrêa, Antonieta Maria Salgado Juncal, Carolyne Vieira Santos Pereira, Maria Clara Borges de Almeida, Rita de Cássia do Amor Divino Ramalho Gama, Alice Magalhães Faleiro

Última alteração: 2018-10-11

Resumo


Introdução: Pneumonia é uma doença respiratória em que há uma inflamação do parênquima pulmonar na maioria das vezes causada por agentes infecciosos. Fatores de risco: Idade menor que nove meses, fumo, álcool, falta de aleitamento materno e outros. Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico da Pneumonia no município de Gurupi. Métodos: Trata-se de uma pesquisa retrospectiva- descritiva desenvolvida a partir da consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram analisados os casos de pneumonia no munícipio de Gurupi entre janeiro de 2016 e junho de 2018 correlacionando com características epidemiológicas como: faixa etária, sexo, cor/raça, caráter de atendimento, óbitos e taxa de mortalidade. Foi utilizado o teste do qui-quadrado com nível de significância de 5%. Resultados: No período entre janeiro de 2016 e junho de 2018 foram registrados 484 casos de pneumonia em Gurupi (Tocantins). Existem evidências ao nível de significância de 5% (P= 2,37002E-79) de haver diferenças na frequência de casos de pneumonia entre as faixas etárias. Crianças menores de 10 anos abrangem mais de 48% dos casos. Em relação ao sexo, houve predomínio no gênero masculino (53,1%). Houve demasiado predomínio em pardos (N= 402). 100% dos casos foram em caráter de urgência. Ainda, tal doença do aparelho respiratório desencadeou 80 óbitos no período com taxa de mortalidade de 16,53. Conclusão: No presente estudo conclui-se que a pneumonia afeta de forma significativa a população gurupiense. A população infantil  é  a mais afetada com tal enfermidade pelo fato de que quanto menor a faixa etária maior  fator de risco para a doença. Há um significativo predomínio em pardos e pode-se levar em consideração o predomínio de pardos no estado do Tocantins de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Deve-se atentar aos sinais e sintomas: febre, tosse, dificuldade para respirar, cansaço, recusa de líquidos, convulsões, sonolência, estridor em repouso e desnutrição grave. A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem preconizando a valorização da queixa de “tosse e frequência respiratória elevada” como indicativo de pneumonia em crianças menores de cinco anos. Com uma análise do contexto social, observa-se que uma melhor alimentação, o aleitamento materno para crianças de até 1 ano de idade  e  rastreamento e tratamento precoces ainda são medidas eficazes para prevenção de tal doença e para melhores prognósticos com prevenção de complicações como o derrame pleural. Deve-se alertar a população sobre a significativa ocorrência da pneumonia no munícipio.

Descritores: PNEUMONIA, GURUPI, SAÚDE


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.