SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE SOBRE A REDUÇÃO DOS CASOS DE MELANOMA E NÃO MELANOMA EM PALMAS-TO ENTRE 2014 A 2017
Fernanda Oliveira Brito dos Reis, Izabel Mendes da Silva, Melina Kimberly Carvalho Pereira, Zaqueu Sampaio Machado Bertoldo, Ibrahim Daoud Elias Filho, Milca Macedo Araujo

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: As neoplasias existem devido a alterações nos mecanismos de controle da divisão celular, podendo estas, serem benignas ou malignas dependendo do curso da lesão. Estas modificações celulares podem ser de origem genética, imunológica ou ambiental. Objetivo: Analisar a diminuição do número de casos da neoplasia de pele na cidade de Palmas-TO no período de 2014 a 2017. Metodologia: O estudo trata-se de uma pesquisa de natureza quantitativa descritiva baseada em artigos encontrados em sites como Scielo, BVS e DATASUS associado a informações contidas no banco de dados da Secretaria Estadual de Saúde(SESAU). Resultados: De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer da pele (CP) pode ser diferenciado em CP melanoma e CP não melanoma, incluindo o carcinoma basocelular e o espinocelular. Segundo estudos realizados no Hospital Geral de Palmas entre 2010 a 2015 (NEVES, 2017), o CP ocupava a 3º posição em número de internações, sendo 49,13% dos pacientes mulheres e 50,87% homens, podendo variar essa prevalência entre os sexos em outros estudos. Segundo análise elaborada por (GUIMARÃES, 2007) na capital, o número de casos de CP reduziam nos anos onde não eram realizadas campanhas de prevenção, o que provocava uma falsa sensação de bem estar populacional, pois na verdade ocorria um distanciamento dos pacientes para com as Equipes da Saúde da Família. Contudo, desde 2014 tem-se realizado campanhas como o “Dezembro Laranja”, com o intuito de orientar, diagnosticar e encaminhar pacientes para o tratamento. Dessa maneira, dado da SESAU retrataram em Palmas-TO uma redução nas notificações da doença entre 2014(180 casos), 2015(151), 2016(112) e em 2017(71 casos), totalizando 514 casos. Conclusão: Conclui-se que os resultados devem-se a ampliação do acompanhamento médico à população nos 33 PSFs na área urbana e nas 8 unidades na zona rural ,de modo que um maior acesso ao SUS, gera uma maior promoção à saúde e consequentemente menor serão os esforços voltados à prevenção secundária. Entretanto, vale-se atentar para a existência de uma parcela de pessoas que ainda não aderem ao tratamento nos hospitais públicos do Estado e estão incluídas dentro das subnotificações, podendo assim, aumentar o número de casos reais. Salvo a significativa redução, o número de ocorrências ainda é preocupante e por esse motivo continua sendo necessárias medidas para a promoção e prevenção à saúde da população palmense.

 

Descritores: Melanoma. Prevenção de Doenças. Neoplasias Cutâneas. Sistema Único de Saúde.

 

 


 


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.