SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
TENTATIVAS DE SUICÍDIOS POR INTOXICAÇÕES EXÓGENAS NO TOCANTINS NOS ÚLTIMOS 6 ANOS
Bryam Simonsen de Oliveira, Ítalo Brito Salera, Izabella Chaves Parreira, Railton Dias Gomes, Nilson Afonso da Silva Júnior, Marcos Vinicios de Carvalho Aguiar

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: A intoxicação exógena é um conjunto de alterações clínicas e laboratoriais resultante da exposição a substâncias químicas, podendo levar a morte. Por conta disso, destaca-se como um meio muito utilizado para a realização de  tentativa de suicídio. Objetivo: Descrever a incidência de tentativas de suicídios no Estado do Tocantins entre 2012 e 2017, cometidos através do uso de substâncias exógenas. Avaliar a variação no número de notificações no decorrer desse período e a faixa etária de maior prevalência. Apresentar uma proposta intervencionista relacionada a faixa etária mais atingida. Material e Métodos: Estudo epidemiológico, retrospectivo, com abordagem quantitativa de indivíduos que tentaram cometer suicídio por exposição a substâncias exógenas que levaram a um quadro de intoxicação. Somente casos notificados no estado do Tocantins – Brasil. Os dados foram retirados do TabNet (DATASUS), e foram incluídos todos os casos confirmados, tendo os pacientes evoluído para óbito ou não. Resultados: No período analisado, foram notificados 2134 casos de tentativas de suicídio com substâncias exógenas. Dentre as substâncias mais utilizadas temos medicamentos, com 53,89% dos casos, raticida, com 13,35% e agrotóxicos agrícolas responsáveis por 8,72% das tentativas de suicídios. Os anos com maior número de notificações foram 2013, 2016 e 2017, apresentando 383, 378 e 412 casos respectivamente. O período com menor número de notificações foi 2012, tendo 12,84% das ocorrências. A faixa etária com maior número de casos foi a entre 20 e 39 anos, correspondendo a 1096 casos, seguida pela faixa de 15 a 19 anos, onde se obteve 513 tentativas de suicídio no período. A prevalência entre idosos, acima de 60 anos, é baixa se comparada as outras faixas etárias, correspondendo apenas a 2,4% de todas as notificações. Do total de casos, aproximadamente 1% evoluiu para óbito por intoxicação. Conclusão: Ocorreu um aumento no número de casos de suicídios no decorrer dos anos estudados, mas observou-se uma baixa mortalidade. Como a faixa etária mais atingida está entre 20 e 39 anos, pode-se propor uma melhor a assistência psicossocial e informativa dentro de universidades e empresas, objetivando atingir esse público. Capacitar os profissionais de saúde quanto a importância da notificação dos casos, para uma melhor assistência dentro das unidades de terapia e investimentos políticos.

Descritores: Suicídio. Toxicidade. Sistemas de informação em saúde. Saúde mental.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.