SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
OCORRÊNCIA DE ÓBITOS POR NEOPLASIA MALIGNA DA MAMA NO ESTADO DO TOCANTINS
Ellica Cristina Cruz Oliveira, Naiara Barbosa Santos, Walkiria Teixeira Melo Costa, Alice Magalhães Faleiro

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: Neoplasia da mama ocorre por crescimento desordenado de células com potencial invasivo, câncer mais comum nas mulheres. Apresenta fatores de risco como aumento da idade, porém com diagnóstico e tratamento precoce tem bom prognóstico. Objetivo: Identificar a ocorrência de óbitos por neoplasia maligna da mama em diferentes faixas etárias entre os anos de 2010 a 2016. Metodologia: Refere-se a uma pesquisa retrospectiva-descritiva realizada por meio de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), evidenciando o número de óbitos por neoplasia maligna da mama no estado do Tocantins na idade de 20 a 80 anos, entre 2010 a 2016. Resultados: O período em estudo compreendeu um total de 358 óbitos pela neoplasia maligna da mama, observou-se um aumento inicial nos casos de óbito de 2010 (42 óbitos - 11,73% do total) para 2011 (47 - 13,12%) e 2012 (49 - 13,68%), então apresenta um declive em 2013 (44 - 12,29%) e 2014 (42 – 11,73%), e torna a aumentar nos últimos anos, 2015 (59 - 16,48%) e 2016 (75 - 20,94%) sendo esse último o ano com maior número de óbitos pela neoplasia. A idade mais acometida foi de 50 à 59 anos com 90 óbitos (25,13%), seguida de 40 à 49 anos com 87 (24,3%). A idade menos acometida foi entre 20 e 29 anos com 5 óbitos (1,39%). Conclusão: Observou-se um aumento no número de óbitos no Tocantins nos últimos anos do estudo (2015 e 2016), podendo ser justificado pela maior disponibilidade de rastreio atual conseguir fechar diagnósticos e ter a causa do óbito estabelecida, embora o ideal fosse o diagnóstico precoce para favorecer um tratamento mais efetivo e melhor prognóstico ao paciente, isso expõe a necessidade continuada das campanhas de prevenção e rastreio precoce, como mamografia e o auto exame das mamas.  Além disso, a faixa etária com maior número de óbitos foi entre 50 e 59 anos coincidindo com as literaturas atuais.

Descritores: Neoplasia. Mama. Morte.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.