SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
PREVALÊNCIA DE FIBROMIALGIA: REVISÃO LITERÁRIA
Cristiane Chaves Campos, Nilson Afonso da Silva Júnior, Joycy Isabely Rodrigues Machado, Thallyson Ruan Brilhante Porto, Cibele de Souza Fernandes, Sara Falcão de Sousa

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática, de etiopatogenia complexa e não totalmente conhecida, caracterizada por dores musculoesqueléticas crônicas, generalizadas e com pontos específicos, dolorosos à palpação – tender points. Objetivo: observar a prevalência atualizada da fibromialgia na população, através de revisão literária. Material e Métodos: estudo do tipo revisão de literatura realizado a partir de artigos levantados no banco de dados Scielo do período de 2014 a 2018. Foram utilizados os descritores "fibromialgia" e "prevalência" e suas traduções em inglês e espanhol, resultando em 88 artigos. A triagem se deu pela avaliação dos resumos e, quando necessário, metodologia na integra. Foram excluídos os que se referiam ao fator psicossocial, desafios propedêuticos, inovações para diagnósticos e tratamento ou às melhorias advindas de práticas desportivas ou artísticas, não relacionados ao objetivo desse trabalho. Por conseguinte, 13 foram selecionados com tema prevalência de fibromialgia e subdivididos em três categorias: população global, gênero e idade. Os aspectos éticos foram respeitados, CNS 466/12 e 510/16. Resultados: Os Estados Unidos foram responsáveis por maior taxa de prevalência (6,4%), seguida pela Escócia (5,4%) e alguns países Europeus (4,7%, critério LFESSQ-4), existindo uma média global de 4±3.  Em relação à idade, verifica-se que adultos são mais acometidos, 53±8 anos. Majoritariamente, foi mais frequente entre as mulheres, 2,4 – 2,6%, apesar de ser válido ressaltar, a existência de discrepância em estudos locais. Conclusão: As taxas encontradas nessa revisão literária foram correlatas à dados da literatura, sendo a FM uma doença reumática bem prevalente, principalmente em mulheres e da quarta a sexta década de vida. Notam-se maiores estudos sobre o tema, principalmente pela alteração de critérios diagnósticos ocorridas em 2010, sendo necessário expandir as buscas para outros bancos de dados, evitando limitações.

Descritores: FIBROMIALGIA, PREVALÊNCIA, REUMATOLOGIA, REVISÃO.

 


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.