SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE COMPARATIVA DE SÍFILIS EM GESTANTES E NÍVEL DE ESCOLARIDADE NO ESTADO DE TOCANTINS ENTRE O PERÍODO DE 2007 A 2017
Maria Gabriela Leme de Oliveira, Joycy Isabely Rodrigues Machado, Pedro Henrique dos Santos Lopes, Lucas Silva Souza, Laura Castro Pereira, Rodrigo Disconzi Nunes

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: A sífilis é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Treponema pallidum. Além do contato sexual, também é transmitida verticalmente para o feto durante qualquer fase da gestação. A triagem faz parte do exame pré natal e deve ser realizada no início e no terceiro trimestre. A notificação é obrigatória. Objetivo: analisar o número de casos de sífilis em gestantes correlacionando com o nível de escolaridade no estado do Tocantins entre o período de 2007 a 2017. Metodologia: Estudo transversal quantitativo a partir de casos de sífilis em gestantes notificados no Tocantins, no período de 2007 a 2017, de acordo com os dados registrados no banco de dados online do SINAN do Ministério da Saúde, DataSus. Analisou-se também o nível de escolaridade das gestantes acometidas através de porcentagens com frequências realizadas para todas as variáveis no Excel. Resultados: Foram registrados, nos dez anos, 1.804 casos de sífilis em gestantes no Tocantins distribuídos nos seguintes níveis de escolaridade: 0,8% (N=16) em analfabetas, 7,3% (N=132) com 1ª a 4ª série incompleta do EF, 5,4% (N=99) com 4ª série completa do EF, 22,6% (N=408) com 5ª à 8ª série incompleta do EF, 8,7% (N=158) com ensino fundamental completo, 15% (N=271) com ensino médio incompleto, 17,1% (N=310) com ensino médio completo, 1,5% (N=28) com educação superior incompleta e 0,6% (N=11) com educação superior completa. Além disso, 20,5% (N=371) foi ignorado/branco o nível de escolaridade. Conclusão: No período analisado, houve um número significativo de casos notificados de sífilis em gestantes no Tocantins, tendo maiores registros gestantes com a 4ª série completa do EF. Em ordem decrescente, na segunda maior quantidade, o nível de escolaridade foi ignorado. Sendo assim, necessita-se de uma maior especificidade durante a notificação, a fim de intensificar ações preventivas e educacionais voltadas para o grupo em questão, diminuindo a ocorrência de novos casos.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.