SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE ENTRE A MORBIDADE POR DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS, POR FAIXA ETÁRIA E CARÁTER DE ATENDIMENTO, NO TOCANTINS, NO PERÍODO DE JANEIRO DE 2013 A DEZEMBRO 2017.
Cristiane Chaves Campos, Julyana Pereira de Andrade, Nilson Afonso da Silva Júnior, Amanda Ribeiro Tavares, Adrielle Araújo, Zoroastro Henrique de Santana

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: As Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), Crohn (C) e Retocolite Ulcerativa (RU), são de natureza crônica e acometem principalmente a população jovem entre 15 a 25 anos. Possuem quadro clínico diversificado e fatores que podem retardar o diagnóstico. Objetivo: analisar as internações por DIIs no Tocantins, entre 2013 e 2017, por faixa etária e caráter de atendimento. Material e Métodos: Estudo analítico transversal retrospectivo baseado nos dados de 137 internações hospitalares por C e RU, referente ao período de janeiro de 2013 a dezembro de 2017, no estado do Tocantins, de acordo com os dados registrados no departamento de informática do SUS (Data-SUS), capítulo CID 10, número XI. Selecionou-se o caráter de atendimento prestado, urgência e eletivo, e as faixas etárias acometidas. O teste Qui-quadrado, Excel 2016, foi realizado a fim de icar o nível de significância da associação realizada. Os aspectos éticos foram respeitados, CNS 466/12 e 510/16. Resultados: Durante o período avaliado foram registradas 137 internações referentes às DIIs. A maior incidência de hospitalizações foi observada em caráter de Urgência 95,62% (n= 131), verificando-se que adultos de 30 a 39 anos 22,6% foram os maiores responsáveis por esse número. No que tange à eletividade do atendimento, observa-se que crianças de 1 a 4 anos correspondem à 50%, porém, ao comparar-se com os casos gerais, configuram pequena parcela. À realização do teste Qui-quadrado, obteve-se p<0,05=0,0014 para a associação faixa etária – caráter de atendimento. Conclusão: C e RU possuem difícil diagnóstico, principalmente no início das manifestações ou quando cursam com quadro clínico extra-intestinal. Além disso, não possuem sinais patognomônicos e necessitam de minuciosa investigação, sendo os exames de imagens necessários, por via de regra, não solicitados à jovens – geração inicial de acometimento da enfermidade. Dessa forma, por provável ausência de cuidados precoces, a maior parte dos atendimentos evolui para complicações das DIIs e são atendidos em caráter de urgência, como verificado nos resultados. Nota-se, dessa forma, a necessidade de capacitar o profissional de saúde para o entendimento fisiopatológico, conduta frente à suspeita e como conduzir o portador ao tratamento adequado, de modo a prevenir agravamentos e piores prognósticos.

Descritores: DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS, CRHON, RETOCOLITE ULCERATIVA, DIAGNÓSTICO, URGÊNCIA, ELETIVO.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.