SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
DOENÇAS DO APARELHO RESPIRATÓRIO: ANÁLISE COMPARATIVA DE INTERNAÇÃO E ÓBITOS NO ESTADO DO TOCANTINS ENTRE AS CORES/RAÇAS E FAIXA ETÁRIAS.
Wglaison Paulo Araujo Sobral, Joycy Isabely Rodrigues Machado, Thallyson Ruan Brilhante Porto, Cristiane Chaves Campos, Jhonattas Vinnycios Barcelos Silva, Ilka da Graça Baia de Araújo

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: Segundo a OMS, as doenças respiratórias crônicas são tanto das vias aéreas superiores como das inferiores. A maioria dessas doenças são preveníveis e incluem a asma, a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica e representam um dos maiores problemas de saúde mundial. Objetivo: Analisar e comparar as taxas de internações e óbitos devido às doenças do aparelho respiratório nas cores/raças branca, preta, parda, amarela, indígena e as que não informaram. Metodologia: Estudo transversal baseado nos dados de 45.144 internações hospitalares por doenças do aparelho respiratório referente ao período de janeiro de 2013 a dezembro de 2017 no estado do Tocantins, de acordo com os dados registrados no departamento de informática do SUS (Data-SUS). Como critérios de seleção, comparou-se a declarações quanto à etnia, raça e idade dos pacientes notificados. Analisou-se, da mesma forma, a quantidade de óbitos por doenças do aparelho respiratório (capítulo X do CID-10). Realizou-se o teste Qui-quadrado, Excel 2010, para verificação do nível de significância. Resultados: Durante o período avaliado foram registradas 45.144 internações referentes às doenças do aparelho respiratório. A maior incidência de internações, 66,34% (n= 29950) acometeu os pardos e a faixa etária de 1 a 4 anos, 24,63% (n= 11119). No que tange à categoria indígena, verifica-se que 74,46% dos casos de doenças respiratórias ocorrem até quatro anos, além de responderem pelo segundo lugar dentre às patologias que mais os fazem buscar auxílio médico (Cid-10: 26,66%), perdendo apenas para gravidez, parto e puerpério. Em relação, ao número de óbitos subsequentes às afecções em questão, no Tocantins, obteve-se 5,39% (n= 2435) de casos, prevalecendo acima de 80 anos. Estatisticamente, ao realizar-se o teste Qui-quadrado obteve-se p<0,05=8,3539x10-208 para a relação cor/raça e idade, e p<0,0001 para fator óbito. Conclusão: As doenças do aparelho respiratório compreendem o grupo de afecções mais frequentes na consulta pediátrica e nas causas de internação desta faixa etária, independente da raça/cor. Fatores como a imunidade ainda não totalmente desenvolvida, assim como a maior exposição a agentes causadores destas patologias corroboram com estes índices. Desta forma, urge a necessidade de estimular a vacinação desta faixa etária e ainda expandir o alcance dos programas públicos de vacinação a todas as etnias, a fim de melhorar a prevenção de agravos oriundos das doenças respiratórias.

Descritores: DOENÇAS RESPIRATORIAS, ETNIAS, CRIANÇAS, EPIDEMIOLOGIA.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.