SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
PERFIL EPIDEMIOLÓGICO SOBRE OS CASOS DE LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO ESTADO DO TOCANTINS NOS ANOS DE 2013 A 2017
Kelvin Hamim José Feitosa Reis, Paulo Vitor Leão Laranjeira, Ana Karoline Maciel Lima, Maria Gabriela Leme de Oliveira, Adir Bernardes Pinto Neto, Alice Magalhães Faleiro

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Kelvin Hamim José Feitosa Reis ¹, Paulo Vitor Leão Laranjeira² , Ana Karoline Maciel Lima², Maria Gabriela Leme de Oliveira², Adir Bernardes Pinto Neto ²Alice Magalhães Faleiro³

1Graduando em Medicina pelo Centro Universitário Unirg, Gurupi/TO, E-mail: kelvin-hamim@hotmail.com 2Graduando em Medicina pelo Centro Universitário - Unirg, Gurupi/TO ³Graduada em Medicina pelo Centro Universitário-Unirg, Gurupi/TO.

Introdução: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença infecciosa que provoca úlceras na pele e na mucosa, causada por protozoários do gênero Leishmania. É uma zoonose em franca expansão geográfica no Brasil sendo uma das infecções dermatológicas mais importantes pela frequência, terapia e sequelas que pode acarretar. Objetivo: Identificar a prevalência dos casos de Leishmaniose Tegumentar Americana no Estado do Tocantins Material e Métodos: Trata-se de um estudo transversal de cunho quantitativo a partir do número de casos confirmados de Leishmaniose Tegumentar Americana, notificados no período de 2013 a 2017, em relação ao ano/diagnóstico, a forma clínica e a evolução dos casos, sendo realizado no programa Excel®  disponibilizados no banco de dados do SINAN do Ministério da Saúde, DATASUS/TABNET. Resultados: Foram analisados N=2345 casos sendo em 2014 o ano com maior prevalência N= 709 (30%), sendo a cutânea a forma clínica mais vista nesse período de tempo N= 2157 (90%)  e, de acordo com a evolução dos casos, o que mais ocorreu foi a cura N=1828 (77%). Conclusão: Após traçar o perfil epidemiológico da população do Tocantins a partir do número de casos confirmados e notificados de Leishmaniose Tegumentar Americana, levando em conta o ano de diagnóstico, forma clínica e a evolução, foi possível verificar a prevalência dos casos da doença no Estado. Esse estudo permitiu quantificar, por exemplo, a forma da doença mais prevalente, sendo ela a cutânea, bem como a evolução clínica destacando o percentual de pessoas curadas com a adesão ao tratamento. Dessa forma, este estudo é notório por chamar a atenção e evidenciar a relevância da prevenção, diagnóstico precoce e do tratamento adequado, haja vista o percentual de pessoas curadas. Além disso, pela importância de se conhecer a prevalência da doença na montagem de estratégias de saúde pelo Estado para o controle da Leishmaniose no País.

 

Descritores: Epidemiologia, Leishmaniose Tegumentar Americana, Prevalência.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.