SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANALISE DE SUICÍDIOS POR ENFORCAMENTO NO ESTADO DO TOCANTINS NO PERÍODO DE 2012 - 2016
caique ferreira de sousa, Meire Aparecida Jacinto Gondim, Fernanda Gomes Dal Pra Gradin, Moyses de Paula Rodrigues Chaves

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: O suicídio é ato presente na história humana. Ele é posto como pecado bíblico, meio de libertação de autores românticos e hoje, a cada 40 segundos, ocorre uma morte por sua pratica no mundo. Objetivo: Identificar o número de suicídios por meio do enforcamento no estado do Tocantins e analisar o perfil social de risco para esta prática. Material e Métodos: Trata-se de uma pesquisa retrospectiva-descritiva desenvolvida a partir de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram analisados os casos de suicídio por enforcamento no estado de Tocantins no período de 2012 a 2016 registrados na categoria CID10: lesão autoprovocada por enforcamento, estrangulação e sufocamento, bem como o perfil de tais pacientes. Para tanto, foi identificado sexo, faixa estaria, nível de escolaridade, microrregião estadual, cor/raça e estado civil dos mesmos. Resultados: No período entre 2012 e 2016 foram registrados 661 óbitos por enforcamento no estado de Tocantins, sendo que a microrregião com maior índice foi a de Porto Nacional com 129 óbitos, seguidos de Araguaína com 124 e rio formoso com 89 registros. Destes 661 registros 527 são do gênero masculino (79,8%), sendo 442 da cor parda, 357 solteiros e 170 com ensino fundamental incompleto. A faixa etária mais acometida foi entre 20 e 29 anos com 200 óbitos. Dentre as microrregiões, a de Miracema foi a única que apresentou aumento progressivo no período analisado. Conclusões: Observou-se número relevante de suicídios por enforcamento no estado, o que permite visualizar a importância de buscar estratégias eficazes para prevenção de tais atos fatídicos. Notou-se ainda importante predomínio (quase 80%) do gênero masculino, jovens (20 a 29 anos), solteiros e de baixa instrução escolar, sugerindo enfaticamente a criação de intervenções direcionadas a essa população bem como a intensificação daquelas já existentes. Vale salientar ainda que a microrregião de Miracema foi a única com aumento gradativo no estado, o que requer investigação das possíveis causas a fim de se implantar condutas orientadas e válidas.

Palavras chave: Suicídio. Epidemiologia. Depressão.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.