SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
INCIDÊNCIA DE INTERNAÇÕES POR UROLITÍASE NA REGIÃO NORTE DO BRASIL, NO PERÍODO DE JANEIRO DE 2017 A JULHO DE 2018
Washington Stival Moreira, Beatriz Barbosa Vaz, Alice Magalhães Faleiro

Última alteração: 2018-10-11

Resumo


Introdução:A Urolitíase, ou Litíase Renal, é uma doença frequente e a sua recorrência é comum.  Seus sintomas podem ser desde assintomáticos, a uma cólica renal, principal deles, até uma bacteremia ou sepse urinária. Objetivo:Analisar a incidência de internações por Urolitíase ou litíase renal, tempo de permanência no ambiente hospitalar, custos para o serviço público de saúde, na região norte do Brasil,  de Janeiro de 2017 a Julho de 2018 em todas as faixas etárias. Identificando a prevalência entre os sexos e a taxa de mortalidade de cada um. Material e Métodos:Foi feito estudo epidemiológico retrospectivo e comparativo, tendo por base o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) baseado nas internações por Urolitíase, analisando assim valor total gasto com essas internações, o tempo médio de cada uma, a prevalência entre os sexos e a sua taxa de mortalidade no período de Janeiro de 2017 a julho de 2018 na região norte do Brasil. Resultados: Análise de 6402 internações no período estudado, sendo 3284(51,3%) do sexo masculino e 3118(48,7%) do sexo feminino. O sexo masculino registrou 11 óbitos, tendo uma taxa de mortalidade de 0,33% enquanto o sexo feminino registrou 5 óbitos, tendo uma taxa de mortalidade de 0,16%. O valor total gasto com as internações neste período, de janeiro de 2017 a julho de 2018, foi de 3.011.951,66 reais tendo uma média de valor de 470,47 reais  por internação e uma média de permanência hospitalar de 3,8 dias. Comparando o numero de internações por estado, O Pará foi o que possuiu o maior numero de internações com 2489(38,9%), seguido por Amazonas com 1623(25,32%), Rondônia com 1288(20,12), Tocantins com 602(9,4%), Roraima com 148(2,31%), Acre com 134(2,09%) e Amapá com 118(1,84%) internações. Apesar do Norte possuir 6402 internações, corresponde a 5,05% das internações totais do Brasil.

Conclusão: A análise dos dados coletados sobre internações por Urolitíase  mostra que a Região Norte do Brasil é o que possui o menor números de internações. Apesar da região norte apresentar o menor número de internações por região, foram gastos valores significativos que poderiam ser evitados com a prevenção da Urolitíase. O sexo masculino possui singela prevalência nos casos, entretanto possui uma taxa de mortalidade duas vezes maior que a feminina. Dos estados que compõem o norte, os que possuem maior número de internações é o Pará e o Amazonas respectivamente.

Palavras chave: UROLITÍASE, LITÍASE RENAL, UROLOGIA


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.