SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
CASOS DE LEISHMANIOSE NO ESTADO DO TOCANTINS NO PERÍODO DE 2010 A 2018
Mariana Ribeiro Almeida Oliveira, Marianne Ferreira Caires, Renato Duarte da Silva, Gustavo Alexandrino Marques, Élida Ferreira Lopes Landin, Nayara Pereira de Abreu

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: A leishmaniose é uma doença infecciosa, zoonótica, causada pelo protozoário Leishmania sp, através da picada de insetos flebotomíneos. É uma das doenças tropicais negligenciadas mais perigosas do mundo. Subdivididas em dois tipos: visceral (sistêmica, é a forma mais grave) e tegumentar(lesões na pele e/ou mucosa). O tratamento é feito com Antimoniato de Meglumina (GLUCANTIME® Sanofi), e é oferecido gratuitamente e exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde(SUS).Objetivo: Análise da ocorrência de leishmaniose visceral, tegumentar e não especificada no Estado do Tocantins entre janeiro de 2010 a julho de 2018.MaterialeMétodos: Estudo retrospectivo observacional baseada nos dados de notificações por Leishmaniose registrados no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) entre os anos de 2010 a 2018 no Estado do Tocantins. Resultados: No período de janeiro de 2010 a julho de 2018 foram avaliados 1.013.031,77 casos. Sendo 778.899,05 pacientes com Leishmaniose Visceral (LV), 98.583,18 casos de Leishmaniose Tegumentar (LT) e 135.549,54 casos de Leishmaniose não especificada(LNE). Houve 2.371 pacientes internados, 1.789 com quadros graves de LV, 187 casos de LT e 395 de LNE. 47 pacientes foram a óbito por LV, 6 por LT e 10 por LNE. Conclusão: Há casos notificados de todos os tipos de leishmaniose, amplamente distribuídos por todo o Estado do Tocantins, revelando valores alarmantes. A alta taxa da forma mais grave da doença é também um fato que mostra a necessidade de maior atenção por partes das autoridades competentes em prol de promover ações que visem qualificar os profissionais de saúde, assim como, educação em saúde no intuito de alertar a população para prevenir essa doença.

Descritores: LEISHMANIOSE, CALAZAR, DOENÇAS TROPICAIS, INFECTOLOGIA.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.