SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
O impacto do tratamento da incontinência fecal na qualidade de vida da terceira Idade: revisão sistemática
Florence Germaine Tible Lainscek

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Florence Germaine Tible Lainscek1 Janáira Ferreira de Vasconcelos 2; Fernanda Bogarim Borin Chiacchio3, Hugo Marques Correia 4,Juliana Lemos Schneid 5,Sávia Denise Silva Carlotto Herrera 6 , Rafaela de Carvalho Alves 7

1 Mestranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), professora do curso de Fisioterapia do Centro Universitário UnirG Gurupi-TO. Email: fg.tl@hotmail.com.2 Fisioterapeuta, Gurupi-TO, Brasil.Email: janairafisio@hotmail.com 3 Mestranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), Psicóloga, professora do curso de Psicologia do Centro Universitário UnirG Gurupi-TO. Email: ferbogarim@gmail.com.4 Mestrando em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins(UFT),Psicólogo.Email:hugomc80@hotmail.com.5 Mestranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), professora do curso de Enfermagem do Centro Universitário UnirG Gurupi-TO. Email: julianaschneid@gmail.com 6 Mestranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), professora do curso de Fisioterapia do Centro Universitário UnirG Gurupi-TO. Email:saviadenise@hotmail.com 7 Mestranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), professora do curso de Fisioterapia do Centro Universitário UnirG Gurupi-TO. Email:rafa_c_alves@unirg.edu.br.

 

Introdução: Estima-se que de 2% a 7% da população idosa apresenta algum grau de disfunção relacionada a incontinência fecal (IF), sendo apontada como a segunda causa mais comum de institucionalização. A fisioterapia é uma das terapêuticas disponíveis para melhoria da qualidade de vida (QV) do paciente idoso portador de IF. Objetivo: Verificar o impacto dos tratamentos fisioterapêuticos para IF na população da terceira idade e sua relação com a QV. Material e Métodos: Trata-se de um estudo de revisão sistemática que teve como critério de inclusão: artigos científicos de domínio público, disponíveis nas línguas portuguesa e inglesa, publicados no período entre 2003 e 2016, obtidos nas bases de dados Google Acadêmico, Scielo, PubMed e Lilacs, artigos de revisão sistemática, relato de caso, artigos originais; população acima de 60 anos; tratamentos fisioterapêuticos para IF; foco nos tratamentos para melhoria da qualidade de vida, em relação aos critérios de exclusão: artigos que não atenderam aos critérios anteriores ou IF relacionados a patologias neurológicas, neoplasias, congênitas, iatrogênicas ou oriundas traumatismos   Os dados foram tabulados e discutidos descritivamente. Os descritores utilizados foram: incontinência fecal; população idosa; qualidade de vida, tratamento fisioterápico. Resultados: Foram selecionados 12 estudos que apresentavam informações diretamente relacionados a discussão da IF em detrimento a QV, sobretudo na população idosa e tratamento fisioterapêutico. O caráter multivariado da IF se relaciona com o grau de dependência/independência na população idosa, os questionários de qualidade de vida cumprem um papel importante na constatação do impacto da IF na QV, sendo um norteador para o sucesso do tratamento fisioterapêutico e escolha da ferramenta a ser utilizada. Conclusão: A avaliação integral e individualizada do quadro de IF constitui a melhor forma de diagnostico para a escolha do tratamento mais indicado ao idoso, uma vez que esse tipo de abordagem apresenta um resultado mais favorável nas avaliações de QV.

 

 

Palavras chave: incontinência fecal; população idosa; qualidade de vida, tratamento fisioterápico.

 


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.