SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR NEOPLASIA MALIGNA DO COLO DO ÚTERO NO MUNICÍPIO DE GURUPI – TO
DANILLO WOLFF DE ALENCAR RIBEIRO, MAIARA DANIELLE SANTOS SILVA, AYRTON OLIVEIRA COUTINHO, PEDRO HENRIQUE PASSOS VIANA, VINICIUS ALENCAR BOTELHO, FERNANDA SNORVASKI MOTA

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: O câncer de colo do útero é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano, sendo o terceiro tumor mais frequente na população feminina, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Objetivo: Verificar a ocorrência das internações e óbitos por neoplasia maligna do colo do útero no município de Gurupi-TO e comparar a nível estadual e nacional, relacionando com a faixa etária de maior prevalência. Material e Métodos: Trata-se de uma pesquisa retrospectiva-descritiva desenvolvida a partir de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foi analisado o número de internações e óbitos por neoplasia maligna do colo do útero no município de Gurupi-TO, bem como no estado do Tocantins e no Brasil no período de jan./2008 a jan./2018. Resultados: Nos últimos 10 anos o Brasil registrou 224.044 internações por neoplasia maligna do colo do útero, onde 9,24% evoluíram para óbito, sendo 67.169 internações por indivíduos de 40 a 49 anos e 5.004 óbitos na faixa etária de 50 a 59 anos. O estado do Tocantins registrou 2.650 internações, com 8,04% dos pacientes evoluindo para o óbito, com prevalência de internações entre os 40 a 49 anos e óbitos entre os 50 a 59 anos. O município de Gurupi registrou 29 internações, com 13,8% dos pacientes evoluindo para óbito, com prevalência de internações entre os 40 a 49 anos e óbitos entre 70 a 79 anos. Conclusão: O câncer de colo do útero continua sendo um problema de saúde pública, levando à internação principalmente mulheres da faixa etária dos 40 a 49 anos, com prevalência de óbitos entre os 50 a 59 anos em âmbito nacional e estadual, e 70 a 79 anos a nível municipal. Analisando a relação internação/óbito, 9,24% das internações por neoplasia maligna do colo do útero no Brasil evoluíram para óbito, 8,04% das internações no Tocantins evoluíram para óbito e 13,8% das internações no município de Gurupi evoluíram para óbito.

Descritores: Neoplasias do Colo do Útero. Doenças do Colo do Útero. Neoplasias Uterinas.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.