SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
DIVERSIDADE GENÉTICA EM GENÓTIPOS DE MILHO PARA TEOR DE PROTEÍNA
Geisiane Silva Silva cobas, Weder Ferreira Dos Santos, Layanni Ferreira Sodré, Geiciele Silva Cobas, Silvio José Bonfim Duarte

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


O milho é um dos cereais mais cultivados e consumidos no Brasil, uma vez que apresenta inúmeros benefícios sociais, econômicos, nutricionais e agroindustriais. Em relação à conteúdo de proteína do grão milho, apresenta em média 9,5%. Objetivo: Estudar a diversidade genética de genótipos de milho para a característica de teor de proteína no Tocantins. Material e Métodos: Foram realizados quatro ensaios de competição de genótipos de milho no Centro Agrotecnológico da Universidade Federal do Tocantins, Campus de Palmas. A semeadura foi realizada em 27 de maio de 2017, para época de entressafra, e 02 de dezembro de 2017, para época de safra 2016/2017, sendo que em cada época, os genótipos foram cultivadas sob condições de alto (150 kg ha-1 de N) e baixo (0 kg ha-1 de N), aplicado em cobertura, tendo como fonte de N a uréia (43% de N). O delineamento experimental utilizado, em cada ensaio, foi blocos casualizados com 10 tratamentos e três repetições. As coletas dos dados foram realizadas quando as plantas atingiram o estádio R6 (maturidade fisiológica). Após a moagem dos grãos, foi determinado o teor de proteína dos grãos (%), sendo utilizado o método de Kjeldahl. No estudo da divergência genética, cada ensaio representou uma variável distinta no modelo multivariado. Resultados: As medidas de dissimilaridade genética, estimadas a partir da distância de Mahalanobis, para a característica teor de proteína, apresentaram uma elevada magnitude (0,64 a 152,52). A combinação entre POP 13 e POP 18 foi a mais divergente (D2 = 152,52), seguida pelas combinações POP 8 e POP 18 (D2 = 92,55) e os pares POP 14 e POP 18 (D2 = 87,85) e POP 16 e POP 18 (D2 = 87,50). Ressalta-se que entre as maiores distâncias encontradas, a população POP 18 está presente na grande maioria das combinações. Conclusão: A combinação entre POP 13 e POP 18 são as promissoras para futuros cruzamentos visando a produção de proteína.
Descritores: ADUBAÇÃO NITROGENADA, CONTEÚDO PROTEICO, MELHORAMENTO GENÉTICO.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.