SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
MÉTODO DE AGRUPAMENTO DE TOCHER EM GENÓTIPOS DE MILHO
FERNANDO ASSIS DE ASSUNCAO, Weder Ferreira dos Santos, Jeferson da Silva Pereira, Eduardo Tranqueira da Silva, Elias Cunha de Faria

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Introdução: As análises de agrupamento estão entre as técnicas mais utilizadas para estudo de divergência genética, tendo por objetivo separar e reunir os objetos de estudo em grupos. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi estudar a aplicação do método hierárquico aglomerativo de otimização proposto por Tocher em genótipos de milho no Tocantins. Material e Métodos: No ano de 2017, foram realizados seis ensaios de genótipos de milho no Centro Agrotecnológico da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Campus de Palmas. Os ensaios foram instalados em duas épocas de semeadura, sendo que em cada época, os genótipos foram cultivados sob condições de alto nitrogênio (alto N) (140 kg ha-1), Médio N (80 kg ha-1) e Baixo N (0 kg ha-1) em cobertura. A semeadura foi realizada em 21 de janeiro, para a primeira época, e 19 de fevereiro, para a segunda época. O delineamento experimental utilizado, em cada ensaio, foi em blocos casualizados com 12 tratamentos (genótipos) e três repetições. A adubação de pré-semeadura foi realizada manualmente, utilizando 300 kg ha-1 de NPK de 5-25-15+0,5% Zn, para todos os ensaios. Foram avaliadas 16 características agronômicas. Para o estabelecimento de grupos similares, foi aplicado o método hierárquico aglomerativo de otimização proposto por Tocher. As análises estatísticas foram realizadas utilizando o programa Genes. Resultados: A análise de agrupamento pelo método de Tocher separou os doze genótipos em dois grupos para baixo N, cinco grupos para médio N, Alto N e Primeira época de semeadura, e seis grupos para segunda época de semeadura. O grupo II (baixo N), grupo IV e V (médio N e alto N), grupo II, III e IV (primeira época) e grupo V e VI (segunda época), apresentam apenas um genótipo por grupo. O estudo comparativo entre as doses de N, revelou uma maior similaridade, quanto à composição dos grupos formados, entre as doses Baixo-Médio N (genótipos 2, 3, 5, 6, 8 e 11 -> grupo I) e Médio-Alto N (2, 3 e 6 -> Grupo I; 10 e 12 -> grupo II; e genótipo 1, isoladamente em cada uma das doses). Conclusão: As doses de nitrogênio e as épocas de semeadura influenciaram no agrupamento dos genótipos.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.