SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ÓBITOS POR INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO CORRELACIONADO COM EMBOLIA E TROMBOSE ARTERIAIS NO ESTADO DO TOCANTINS ENTRE JANEIRO DE 2015 E JULHO DE 2018 .
cibele de souza fernandes, Lucas de Paula Leal, Thiago Santos Vieira, Fransciento Silva Reis, Milca Macedo Araujo, Arthur Alves Borges de Carvalho

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: O infarto agudo do miocárdio (IAM) é um processo degenerativo necrótico causado pela interrupção do suprimento sanguíneo no tecido cardíaco. O IAM está associado a embolismo e trombose arterial.Objetivo: Analisar os óbitos por infarto agudo do miocárdio correlacionado com embolia e trombose arteriais diagnosticados no estado do Tocantins entre 2015 e 2018 e fazer a comparação em qual faixa etária de acordo com o sexo estar mais prevalente.  Material e Métodos: Trata-se de um pesquisa retrospectiva-descritiva desenvolvida a partir da consulta ao DATASUS/Morbidade Hospitalar do SUS,Capítulo CID-10:IX e Lista Morb CID-10: Infarto agudo do miocárdio, Embolia e trombose arteriais. Fazer o teste do QUI QUADRADO  e analisar quais variáveis influencia no óbito .Resultados:No período observado foram notificados 202 óbitos por infarto agudo do miocárdio associado com trombose e embolia arteriais .Desse total , 90 foram no sexo feminino com prevalência na faixa de 60 a 69 anos e 80 anos ou mais os dois 26 óbitos .No sexo masculino foram 112 óbitos com predomino na faixa etária de 60 a 69 anos ocorrendo 29 óbitos .Tem-se a realização do teste qui quadrado encontrou-se p<0,05 igual a 0,040032744 demonstrando associação entre a faixa etária e o sexo no óbito notificado .Conclusão: Nota-se uma relação direta e significativa entre faixa etária e o sexo no óbito por IAM associado com trombose e embolia arteriais . Observou-se que o sexo masculino na faixa de 60 a 69 anos tem uma incidência maior de óbitos , isso é devido ao estilo de vida, hábitos que propiciam progressão de coronopatia propiciando uma maior chance de reinfarto .Dessa maneira ,a  educação em saúde  poderá ser um instrumento de trabalho para os profissionais de saúde,  conhecerem a população que estão assistindo para, dessa forma, analisar suas peculiaridade e levar uma promoção da saúde .


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.