SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DO NÚMERO DE ÓBITOS POR SEPSE NO BRASIL
Wanessa Araújo Machado, Murillo Andrade Rocha, Camilla Macedo Abreu, Vinícius Gomes Moura, Matheus Andrade Rocha, Carla Angélica Turine von Glehn

Última alteração: 2019-02-07

Resumo


Introdução: A sepse é uma síndrome caracterizada pela exacerbada resposta inflamatória sistêmica, sendo a principal causa de morte nas UTIs. É definida por um conjunto de manifestações, as quais podem causar a disfunção de um ou mais órgãos.  Objetivo: Correlacionar o número de óbitos por sepse no Brasil, a faixa etária e o sexo correspondentes. Material e Métodos: Estudo epidemiológico retrospectivo desenvolvido a partir de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram analisados o número de óbitos por Sepse no Brasil entre Janeiro de 2016 e Julho de 2018, na faixa etária de menor de 1 ano de idade a 79 anos. Resultados: No período analisado, foram averiguados o total de 1.708 óbitos de mulheres e 1.477 de homens na faixa etária de menor de 1 ano; de 1 a 4 anos, 539 e 463; de 5 a 9 anos, 215 e 199; de 10 a 14 anos, 271 e 214; de 15 a 19 anos, 451 e 405; de 20 a 29 anos, 1.502 e 1078; de 30 a 39 anos, 2.683 e 1.878; 40 a 49 anos, 5.112 e 3.658; de 50 a 59 anos, 9.849 e 7.042; de 60 a 69 anos, 15.535 e 12.119; de 70 a 79 anos, 17.651 e 16.585 óbitos em homens e mulheres, respectivamente. Conclusão: No período e faixa etária analisados, observou-se maior número de óbitos em pacientes do sexo masculino, correspondente a 55,17%, e na faixa etária de pacientes com 70 a 79 anos, correspondente a 34%, o que evidencia que a idade relaciona-se diretamente com a mortalidade.

Descritores: Sepse. Unidades de Terapia Intensiva. Causas de morte.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.