SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE QUÍMICA DE ESGOTO DOMÉSTICO TRATADO NA PREVENÇÃO DA CONTAMINAÇÃO DE CORPOS RECEPTORES
MAIRA CRISTINA FERNANDES MARINHO MATOS, Miréia Aparecida Bezerra Pereira, Nelita Gonçalves Faria de Bessa

Última alteração: 2018-10-10

Resumo


ANÁLISE QUÍMICA DE ESGOTO DOMÉSTICO TRATADO NA PREVENÇÃO DA CONTAMINAÇÃO DE CORPOS RECEPTORES

Maira Cristina Fernandes Marinho Matos1, Miréia Aparecida Bezerra Pereira2, Nelita Gonçalves Faria de Bessa3

1 Graduanda em Farmácia pela Universidade de Gurupi, Gurupi/TO. E-mail: mairamatosfarmacia@gmail.com 2 Docente do curso de Farmácia – Universidade de Gurupi, Gurupi/TO. 3 Docente do curso de Medicina – Universidade de Gurupi, Gurupi/TO.

Introdução: O esgoto doméstico tratado pode ser utilizado como fertilizante do solo. No entanto, a segurança da utilização desse produto deve considerar os níveis adequados de elementos que possam representar riscos de contaminação de corpos receptores. Objetivo: Realizar análise química de esgoto doméstico tratado com a finalidade de evitar a contaminação de solos do Assentamento Vale Verde em Gurupi-TO. Material e Métodos: A pesquisa foi realizada no Assentamento Vale Verde (48° 59’ N e 48° 58’ W), à 25 km da sede do município de Gurupi-TO, onde está localizada a fossa séptica biodigestora. Para a realização das análises, foram coletadas amostras do afluente na entrada da fossa séptica biodigestora (efluente bruto), denominado por ponto 1 e do efluente que já passou pelo processo de decomposição da fossa séptica (efluente tratado), ponto 3. A coleta foi realizada visando a análise química no que se refere a metais pesados e compostos organofosforados e carbamatos. Os resultados foram comparados com a resolução nº 357 do CONAMA, que estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. Resultados: Quanto à concentração de elementos potencialmente tóxicos ao meio ambiente, foi observado que o Cádmio, Chumbo, Cianeto, Cromo III e VI, Bromo, Mercúrio e Prata, que esses valores estão abaixo do que é estabelecido pelo CONAMA 357, não sendo limitante para a utilização como fertilizante. Borges (2009) sugere que os elementos potencialmente tóxicos, quando em grandes concentrações nos resíduos, podem provocar prejuízos e danos ao ambiente e à saúde, devido ao acúmulo desses no solo, na água e nas plantas. As concentrações dos metais analisados também estão de acordo com o máximo permitido recomendado pela USEPA (2012), para água de irrigação. Para o composto organofosforado diclorvo e os carbamatos carbofuran e aldicarb,  que apresentam efeito tóxico agudo para os seres humanos e mamíferos, também foram encontrados valores abaixo do permitido recomendado pela USEPA (2012). Conclusão: Dessa forma, observou-se que o esgoto doméstico tratado no Assentamento Vale Verde possui níveis de elementos e compostos químicos abaixo do estabelecido pela legislação para lançamento de resíduo em corpos hídricos e, consequentemente, no solo.

 

Palavras chave: Efluente, saneamento, toxicidade.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.