SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
BENEFÍCIOS DE EDIFICAÇÃO COM TIJOLO SOLO-CIMENTO EM GURUPI-TO
Maycon Mickael Ribeiro Vasconcelos, Ângela Helena Mendes Stiva, Nelita Gonçalves Faria de Bessa, Daniel Ramos de Souza, Tamires Lima de Sousa

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Introdução: O tijolo solo-cimento é um material ecológico e tecnológico que possui as funções de isolamento térmico e acústico da obra. Além de grande beleza arquitetônica por ser tijolo à vista, apresenta impactos socioeconômicos e ambientais positivos. Objetivo: Analisar o tijolo solo-cimento em relação ao sistema convencional de tijolo cerâmico, como potencial alternativa para sistemas construtivos em Gurupi-TO mediante seus benefícios estruturais e sócio-ambientais. Material e Métodos: Estudo analítico comparativo entre o tijolo solo-cimento e tipo cerâmico e potencial de aplicação em sistemas construtivos em Gurupi-TO, tendo como base: 02 normas, NBR8491/12 (requisitos para execução de tijolos de solo-cimento de alvenaria) e NBR8492/12 (método para análise dimensional, resistência à compressão e da absorção a água); 07 variáveis sendo cura, sistema construtivo, resistência a tensão de ruptura, número de pavimentos, método construtivo e estrutura do tijolo, preço. Foram utilizados descritores (tijolo solo-cimento; tijolo modular; tijolo cerâmico; construção ecológica) para busca de artigos em indexadores (Scielo; Elsevier; Science Direct), 2014 a 2017. Resultados: O tijolo solo-cimento é feito à base de água e o cerâmico é a forno de lenha. Difere do sistema construtivo do concreto armado, não tendo vigas nem pilares, assemelhando a alvenaria estrutural. Possui resistência à tensão de ruptura maior (4,54Mpa) do que o cerâmico (1,02Mpa), mas não tem a função estrutural e por norma fica restrito até 3 pavimentos. No método construtivo tem menor impacto ambiental, por não utilizar madeiras como caixarias para vigas e pilares, com circunferência dos furos configurando tecnologia termo-acústica, permitindo a passagem verticalizada de ar e ainda de ramal dos eletrodutos, tubulações de águas frias/quentes. Permite um dimensionamento dos seus furos para também finalidade estrutural, sendo possível a concretagem juntamente com vergalhões em substituição dos pilares e vigas do sistema convencional. Conclusão: O tijolo solo-cimento comparado ao concreto armado é considerado um sistema construtivo ecológico, adequado para construções em climas extremos por ser regulador termo-acústico, com versatilidade para hidráulica, elétrica e concretagem, com resistência mecânica superior ao tijolo convencional, sendo cerca de 30% mais barato. Este sistema construtivo usando tijolo solo-cimento para Gurupi e Tocantins confere alternativa sustentável, pois haveria a melhoria do conforto do ambiente, socioeconômica e traria menores impactos ambientais gerando menos resíduos. Sugere-se que seja analisada a viabilidade de seu emprego em obras públicas e privadas até 3 pavimentos, podendo contribuir com o ICMS ecológico municipal e conforto ambiental para o usuário, com minimização de custos por condicionamento artificial da edificação.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.