SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
AS DIFICULDADES NA FORMAÇÃO DOS AGENTES INDÍGENAS DE SAÚDE
Pedro Henrique dos Santos Lopes, Kaíque Augusto de Souza Rodrigues, João Vitor Alves do Couto, Paulo Afonso Cirqueira Abreu Filho, João Paulo Messias Albuquerque, Abrantes Vieira de Paiva Júnior, Lucas Silva Souza, Ilka da Graça Baia de Araújo

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


Introdução: A Organização Mundial da Saúde (OMS), define o termo “Saúde” como a ausência de doença e a manutenção de um bem-estar físico, mental e social. Para os indígenas só existe “Saúde” quando há a direta relação com a terra e um equilíbrio com a natureza, o xamanismo e os aspetos cosmológicos. Objetivo: Analisar as dificuldades existentes para a formação de Agentes de Saúde Indígenas, os fatores de resistência, as dificuldades de adaptação e os benefícios do serviço desses profissionais nas comunidades indígenas. Metodologia: A pesquisa é de cunho bibliográfico, em que foram selecionados 9 artigos e publicações de relevância da SciELO e do LILACS. Resultados: A problemática da saúde indígena ocorre por diversas fatores atrelados à manutenção de todos os elementos que essas populações incluem na sua definição de “Saúde”. A maioria desse povo exerce a medicina tradicional, que é bem diferente da aplicada fora de suas comunidades, as quais são realizadas por pajés, curandeiras e parteiras. Os métodos de saúde dos indígenas são eficazes para males costumeiros em seu povoado, porém, nem sempre estão preparados para outros tipos de moléstias. A formação dos Agentes Indígenas de Saúde é necessária, a fim de criar um elo entre as equipes de saúde municipais e as comunidades indígenas. As universidades devem estar mais preparadas para receber o indígena e orientá-lo; as políticas públicas devem ajudá-los a enfrentar dificuldades tais como: a língua, a exclusão do círculo acadêmico e os preconceitos. Conclusão: Percebe-se que os benefícios que esses profissionais formados podem proporcionar são enormes, pois os índices de saúde das comunidades tendem a apresentar melhorias, possibilitando a implementação de políticas de saúde e uma maior abertura à medicina moderna.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.