SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
HIPERTENSÃO ARTERIAL PULMONAR E A RESPOSTA AO TRATAMENTO COM SILDENAFILA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
Lucas Rocha Fonseca, Geovana Christina Isidoro Bezerra, Vinícius Lopes Santana, Emerson Alves Miguel Batista Barreto, Kairo Sairo Porto de Melo, Sara Falcão De Sousa

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


HIPERTENSÃO ARTERIAL PULMONAR E A RESPOSTA AO TRATAMENTO COM SILDENAFILA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Lucas Rocha Fonseca¹, Vinícius Lopes Santana¹, Kairo Sairo Porto de Melo¹, Geovana Cristina Isidoro Bezerra¹, Emerson Alves Miguel Batista Barreto¹, Sara Falcão de Sousa²

1Graduandos em Medicina pelo Centro Universitário UnirG, Gurupi/TO. E-mail:lucas_rochafonseca@hotmail.com.2Docente do Centro Universitário UnirG, Gurupi/TO. Mestre em Ciência da Motricidade Humana e Doutoranda em Ciências da Saúde.

 

Introdução: A hipertensão arterial pulmonar (HAP) é uma anormalidade circulatória que tem como propriedade o aumento da resistência vascular na pequena circulação, geralmente por meio de mecanismos, como: vasoconstricção e remodelamento da parede arterial. Atualmente, existe um fármaco que começou a ser utilizado no combate a HAP, mesmo não sendo essa a sua função primária. O medicamento sildenafila, que é usado para disfunção erétil, é um inibidor seletivo da fosfodiesterase-5(PDE5). Pelo fato de a PDE5 também ser encontrada no pulmão, o medicamento causa a vasodilatação das artérias pulmonares, facilitando o tratamento da HAP. Objetivo: analisar a eficácia do sildenafila no tratamento da hipertensão arterial pulmonar. Material e Métodos: pesquisa bibliográfica, de maneira descritiva. Feita por análise de textos científicos, como Scielo, Pubmed, Biblioteca Virtual da Saúde. Como critério de inclusão foram selecionadas as publicações tidas como mais relevantes. Resultados: A hipertensão pulmonar é uma doença incapacitante, caracterizada por um crescente da pressão e da resistência arterial pulmonar, procedendo em arteriopatia pulmonar, sobrecarga e disfunção ventricular direita. Foi feita uma pesquisa sobre o uso do sildenafila nesses casos. O primeiro ensaio clínico avaliando seus efeitos na HAP foi no estudo SUPER-1, comprovando melhora clínica pela CF-NYHA. O estudo avaliou três díspares doses comparativas ao placebo, 20mg, 40mg e 80mg 3 vezes ao dia. Ocorram benefícios da sildenafila em relação ao placebo, contudo, não existiu diferença significante entre as três doses, com tendência a uma maior implicação hemodinâmica na dose de 80mg 3 vezes ao dia. A dose convencional para tratamento foi a de 20mg 3 vezes ao dia, mas o estudo que mostrou benfeitoria foi feito somente com a dose de 80mg, 3 vezes ao dia. Assim, existe uma indefinição quanto a melhor dose de manutenção da sildenafila. Efeitos adversos são: cefaleia, mialgia, insônia, alterações visuais e gastrite. É comercializada no Brasil com dose inicial recomendada de 20mg 3x ao dia. Conclusão: Concluindo, podemos dizer que o Sildenafila é um medicamento promissor no tratamento da HAP, mesmo que os estudos quanto a dosagem ainda sejam precários. É de extrema importância o papel do médico na hora da prescrição do medicamento, explicando sobre os efeitos colaterais que podem ocorrer e sobre a potente ação da droga sobre o pênis.

 

Palavras chave: Sildenafila, Hipertensão pulmonar, Dose, Fosfodiesterase-5.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.