SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
Análise econômica do consorcio de pepino e alface no município de Gurupi-TO.
Maria Cristina Silva Martins, Ádila Pereira de Sousa, Eduardo Koiti do Nascimento Ozaki, Laylla Naely Rocha Silva, Michelli Medeiros Cabral Ribeiro, Susana Cristine Siebeneichler

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


O consorcio é um sistema alternativo de produção, no qual obtêm-se o melhor uso do solo, da água e da área cultivada tendo uma maximização de espaço e um retorno econômico favorável. Avaliar a viabilidade econômica da alface americana em monocultura e consorciada com pepino. O experimento foi com conduzido em uma chácara no Parque Primavera em Gurupi/TO e conforme a análise de solo realizou-se a calagem e adubação das culturas. As mudas de pepino e alface foram produzidas em casa de vegetação, na UFT-Gurupi e transplantadas aos 25 DAP, utilizou-se a cultivar de alface americana Lucy Brown e semente de pepino caipira. O pepino foi cultivado em fileira simples com espaçamento de 0,60 x 0,60 m e a alface americana em 0,25 x 0,25 m, o cultivo consorciado foi estabelecido com três fileiras de alface e quatro plantas de pepino, enquanto que no cultivo solteiro foram plantadas quatro fileiras de alface e 6 plantas de pepino. Os tratamentos consistiram de: alface solteiro, pepino solteiro e consorcio de alface com pepino. As plantas de alface foram colhidas aos 60 DAT e o pepino foi colhido no período entre 40 e 80 DAT O experimento foi conduzido em blocos casualizados, com quatro repetições, para a análise do custo de produção das culturas, os coeficientes técnicos referentes à implantação e condução das culturas foram obtidos durante a realização do experimento. O consorcio proporcionou um aumento na renda do produtor, pois na mesma área se produziu duas culturas de ciclos diferentes que favoreceu uma diversificação de produtos com preços variados. O cultivo destas hortaliças no sistema consorciado é viável, pois os custos para sua implantação e condução são semelhantes ao de uma monocultura e ainda é uma estratégia de incremento na produtividade da área utilizada.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.