SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
COMPOMENTE DE RENDIMENTO RELAÇÃO NÚMERO DE ESPIGAS POR NÚMERO DE PLANTA EM CULTIVARES DE TRIGO NO SUL DO TOCANTINS
Suelle Sousa Araujo, Fernando Machado Haesbaert, Ézio Henrique Dias Silva, Karen Ferreira dos Santos, Lucas Carneiro Maciel

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Introdução: O trigo (Triticum aestivum L.) é primordialmente uma cultura de clima temperado, porém nos últimos anos tem sido crescente o número de pesquisas voltadas a produção de cultivares que se adaptem e produzam bem nas condições do Cerrado. Objetivo: Avaliar o desempenho de oito cultivares de trigo quanto à relação número de espiga por número planta por m2, no sul do Tocantins. Material e Métodos: O trabalho foi realizado na Estação Experimental da Universidade Federal do Tocantins, Campus de Gurupi, foram avaliadas oito cultivares de trigo, sendo quatro da EMBRAPA (BRS-254, BRS-264, BRS-394 e BRS-404), e quatro cultivares da BIOTRIGO (SINTONIA, TBIO-SINTONIA, SOSSEGO e MESTRE). O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 6 repetições, cada parcela foi composta por 6 linhas de 2 m e espaçadas a 0,17 m. Foram adotadas na cultura todo o manejo técnico adequado para o seu estabelecimento e desenvolvimento. A avaliação do número de espiga por planta por m2 foi realizada por meio de contagem de todas as plantas e espigas das linhas centrais na área de 0,68m², desprezando uma linha em cada lateral e 50 cm em cada extremidade. A análise estatística dos dados foi realizada por meio da análise de variância e as cultivares foram comparadas através do teste de comparação de média Scott-Knott, com nível de 5% de probabilidade de erro. Resultados: Os tratamentos apresentaram diferença significativa, onde as cultivares SINTONIA, TBIO-SINTONIA, SOSSEGO e MESTRE, apresentaram menores médias na relação número de espigas por número de planta, sendo a menor média atribuída a cultivar SINTONIA (0,5278) e a maior a cultivar MESTRE (0,6682), porém entre elas não houve diferença significativa. As cultivares BRS-254, BRS-264, BRS-394 e BRS-404 se sobressaíram, sendo a BRS-394 com a maior média (0,9042) e a BRS-404 a menor média (0,7578), não diferindo significativamente entre si. Conclusão: As cultivares BRS-254, BRS-264, BRS-394 e BRS-404 mostraram-se superiores para a variável número de espiga por número de planta por m2.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.