SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
COMPARATIVO ENTRE REALIZAÇÕES DE COLECISTECTOMIA E SEUS CUSTOS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2018 DAS CIDADES DE PALMAS E GURUPI DO ESTADO DO TOCANTINS
Brenda SILVEIRA DIAS, Denise Moreira Dias, Gleyssi Couto de Souza Gomes, Marina Vieira Ruela, Rodrigo Costa Carvalho

Última alteração: 2018-10-16

Resumo


Brenda Caroline da Silveira Dias1, Denise Moreira Leite2,Gleyssi Couto de Souza Gomes2, Marina Vieira Ruela2, Rodrigo Costa Carvalho3

1 Graduando em Medicina pelo Centro Universitário Unirg, Gurupi/TO. E-mail: silveiradiasbrenda@gmail.com.  2 Graduando em Medicina pelo Centro Universitário Unirg, Gurupi/TO. 3 Graduado pela Universidade Federal De Uberlândia, Residência médica em Cirurgia Geral pelo Hospital das Clínicas de Uberlândia, Docente do curso de Medicina do Centro Universitário Unirg desde 2005 nas cadeiras de técnica cirúrgica, cirurgia I e Urgência, Gurupi/TO.

Introdução: Colecistectomia é um procedimento cirúrgico que consiste na retirada da vesícula biliar, que pode ser realizada por via convencional ou via laparoscópica. Objetivo: Estabelecer um comparativo entre realizações de colecistectomia no primeiro trimestre de 2018 e os custos dessas para o SUS, nas cidades de Palmas e Gurupi, ambas no Estado do Tocantins, considerando que Palmas realiza o procedimento pelas vias convencional e laparoscópica e Gurupi apenas pela via convencional. Analisar o custo-benefício da implantação do procedimento laparoscópico para a cidade de Gurupi. Material e Métodos: Estudo observacional e retrospectivo através da coleta de dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), tabulação e estatística descritiva através do programa Microsoft Excel 2010. Resultados: Foram realizados 159 procedimentos de colecistectomia no primeiro trimestre de 2018 no Estado do Tocantins com o custo total de R$ 154.034,85. Desses, 19% em Palmas, sendo 11% por via laparoscópica e 8% por via convencional, e 13% em Gurupi. Por procedimento foi gasto em Palmas a média de R$ 1.082,17 por via convencional e R$ 800,86 por via laparoscópica. Esta é 25% mais barata para o Sistema Único de Saúde (SUS) em comparação com a via convencional. Em Gurupi a média do custo por procedimento foi de R$ 850,58. Conclusão: A quantidade de realização de colecistectomias em Gurupi é bastante significativa no âmbito estadual e a economia que iria gerar ao SUS com implantação do procedimento por via laparoscópica poderia suprimir com o tempo os gastos com o investimento inicial em equipamentos e capacitação de profissionais. Além disso, os benefícios para o paciente são maiores quando escolhido o procedimento por via laparoscópica, como, por exemplo, menor tempo de internação, menor intensidade da dor no pós-operatório e menor resposta endócrino metabólica ao trauma gerado pelo ato cirúrgico.

 

Descritores: Colecistectomia, Colecistectomia Laparoscópica, Análise Custo-Benefício, Sistema Único de Saúde (SUS).

 


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.