SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
TOXICIDADE VIA CONTATO E REPELÊNCIA DO OLEO ESSENCIAL DE NONI (Morinda citrifolia) PARA Apis mellifera
Joao Henrique Silva da Luz, Izabella Moreira da Cruz Pinheiro, Luiz Felipe Soares Aguiar, Luis Flávio Nogueira de Souza, Marcela C. A. C. da Silveira-Tschoeke, Paulo Henrique Tschoeke

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Introdução: A abelha Apis mellifera é uma excelente polinizadora e produtora de mel, exercendo papel importante para a produção de alimentos, desenvolvimento social e econômico do país. Os Bioinseticidas vêm sendo difundido como excelente alternativa para a substituição dos produtos extremamente tóxicos para as abelhas. Objetivo: Determinar a toxicidade via contato e repelência do óleo essencial de Morinda citrifolia para as abelhas operarias de Apis mellifera. Material e Métodos: O experimento foi conduzido no Laboratório de Zoologia da UFT, campus de Gurupi. O óleo essencial (OE) foi extraído de frutos maduros de M. citrifolia pelo método de hidrodestilação. Para ambos os bioensaios as soluções foram preparadas em água destilada, contendo Tween 80® e DMSO (1:1) a 2%. Após os bioensaios seletivos e ajustes metodológicos, foram utilizados as seguintes concentrações de OE: 0; 0,08; 0,12; 0,18; 0,27; 0,42; 0,65 e 0,98 µL/cm² para toxicidade via contato, e 0,01; 0,02; 0,06; 0,11; 0,25; 0,54 µL/cm² para o bioensaio de repelência, sendo essas concentrações aplicadas em papel filtro (9,2 cm de diâmetro) que forrava o fundo das gaiolas (Potes plásticos de 500 mL). As abelhas foram coletadas no apiário experimental, anestesiadas com CO2 e distribuídas 20 unidades por gaiola, permaneceram em BOD a 30º C ± 1º e 70 ± 2% umidade. A mortalidade foi determinada 24 horas após a exposição e para o grau de repelência após 2 horas de exposição. Ambos os bioensaios foram dispostos em DIC, com 5 repetições, contendo 20 abelhas por repetição. Os resultados foram submetidos a análise de Probit, utilizando o software Polo Plus, gerando as curvas de concentração letal e de repelência. Resultados: As concentrações de OE de noni que ocasionaram a mortalidade de 50 e 90 porcentos da população foram 0,12 μL/cm² e 0,66 μL/cm², respectivamente. Já para a atividade de repelência a      CR50 foi de 0,04 μL/cm² e CR90 0,38 μL/cm². Valores esses sendo 3,0 e 1,7 vezes menores que CL50 e CL90 do bioensaios de exposição via contato. Conclusão: O óleo essencial de Morinda citrifolia apresentou maior atividade de repelência de que toxicidade para as abelhas operarias de Apis mellifera.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.