SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
DINÂMICA DE CRESCIMENTO DE Eucalyptus spp. EM PLANTIO COMERCIAL NO ESTADO DO TOCANTINS
Bruno Aurélio Campos Aguiar, Thiêssa Tamilla de Carvalho Santana, Marcos Vinicius Cardoso Silva, Maria Cristina Bueno Coelho

Última alteração: 2018-10-09

Resumo


Introdução: Um fator importante para a dinâmica do crescimento em uma floresta é a estrutura, que se divide em vertical e horizontal. Analisá-la é uma maneira de detectar o estágio em que a floresta se encontra, bem como as alterações que ela sofre. Objetivo: analisar a estrutura horizontal e vertical comparando dinâmica do crescimento em plantios comerciais entre os diferentes tipos de clone híbrido estaca, Urocam (E.urophylla x E.Camaldulensis), Urograndis GG100 (E.urophylla x E.grandis), Sementes Urograndis (E.urophylla x E.grandis) no período de 2011 e 2016.. Material e Métodos: O presente estudo foi desenvolvido em uma fazenda particular pertencente à empresa Projecto Ltda. localizada no município de Aliança na região Sul do estado do Tocantins. Os dados são provenientes de uma área corresponde a 109 hectares plantados em Abril de 2009 no espaçamento 2,5 x 4,0 m, híbrido estaca Urocam (E.urophylla x E.camaldulensis), Urograndis GG100 (E.urophylla x E.grandis) e Semente Urograndis (E.urophylla x E.grandis). A base de dados foi obtida a partir do inventário florestal contínuo, com parcelas permanentes, a forma das unidades amostrais utilizadas foi retangular 24 x 25 m (600 m²) cada, distribuídas sistematicamente estratificadas, situadas em linhas equidistantes 125 m uma das outras e 80 m entre parcelas. As variáveis biométricas avaliadas foram: altura total (Ht) e DAP. foram avaliados 10 modelos matemáticos, visando identificar um modelo com ajuste mais adequado para cada uma das variedades estudadas. Os modelos hipsométricos foram ajustados, utilizando-se o programa Microsoft office excel 2010. Através dos resultados do R2 aj., Coeficiente de Variação (%) e análise gráfica de resíduos foram selecionados os melhores modelos. Resultados: O plantio apresentou baixa variabilidade (CV < 20%) aos 89 meses de idade. Também apresentou distribuição normal de frequência para variável Ht e DAP para os percentuais de distribuição normal (>68%) para os clones  de Urograndis, Urocam e semente. Conclusão: O clone que apresentou maior crescimento em altura foi o Urocam (8,52m) e em DAP foi semente (6,17cm). A maior taxa de mortalidade foi registada em semente com 16,18%.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.