SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
PLANTAS TÓXICAS NA PAISAGEM URBANA: UM RISCO SILENCIOSO.
Gabryelle Cristhina Mendes Sousa, Silmara Batista Reis, Lizandra Pereira Vasconcelos, Karin Ferreto Santos Collier

Última alteração: 2018-10-06

Resumo


CATEGORIA DO TRABALHO:

Ciências biológicas (     )

Ciências humanas (      )

Ciências da Saúde ( X )

Ciências Sociais Aplicadas (     )

Ciências Agrárias (     )

Engenharias (     )

Ciências Exatas e da Terra (     )

Linguística, Letras e Artes (     )

 

PLANTAS TÓXICAS NA PAISAGEM URBANA: UM RISCO SILENCIOSO.

Gabryelle Cristhina Mendes Sousa1, Silmara Batista Reis 2, Lizandra Vasconcelos2, Karin Ferretto Santos. Collier3

1Graduanda em Farmácia pela UNIRG, Gurupi/TO, E-mail: gabycristin22@gmail.com,2 Graduanda em Farmácia pela UNIRG, Gurupi/TO, 3Docente do curso de Farmácia – UNIRG, Gurupi/TO.

Introdução: a arborização urbana constitui um fator importante para proporcionar um ambiente físico saudável. Porém deve-se ficar atento às plantas que compõe a beleza do cenário urbano, pois muitas plantas utilizadas como ornamentais são potencialmente toxicas. Objetivo: apresentar as principais plantas ornamentais potencialmente tóxicas observadas na paisagem urbana de Gurupi-TO. Material e Métodos: foram observadas as plantas utilizadas na ornamentação na região central de Gurupi-TO, os dados coletados foram confrontados com a literatura nas bases de dados U.S. National Library of Medicine National Institutes Health (Pubmed) e Scientific Electronic Library Online (SciELO) e com a ferramenta de busca Google Scholar Utilizou-se para a busca as palavras chave: “Plantas tóxicas” e “Toxicidade” associadas aos nomes das plantas observadas. Resultados: Muitas espécies de vegetais superiores que produzem substâncias capazes de exercer ação extremamente tóxica sobre o organismo vivo. Foram observadas na paisagem urbana em Gurupi as seguintes plantas potencialmente tóxicas: Pteridium aqualinum; Dieffenbachia picta; Brugmansia arbórea, Zantedeschia aethiopica; Thevetia peruviana; Euphorbia milii; Caladium bicolor.; Hydrangea macrophylla e Anthurium andraeanum. Estas plantas possuem com seguintes compostos tóxicos: glicosídeos cianogênicos; oxalato de cálcio; alcalóides beladonados e látex irritante. Os compostos das plantas observadas podem provocar reações na pele devido ao toque, causar irritação na boca, língua e garganta e acarretar alterações no coração. Ressalta-se que algumas das plantas observadas não constam no Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX). Conclusão: É importante que os profissionais da área da saúde saibam do potencial tóxico destas plantas para auxiliar no diagnóstico no caso de intoxicações.

 

Palavras chave: Plantas Tóxicas, Arborização, Intoxicação.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.