SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi, IV SICTEG - Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi

Tamanho da fonte: 
CASOS NOTIFICADOS DE VIOLÊNCIA SEXUAL NO TOCANTINS ENTRE 2013 E 2014
Ítalo Brito Salera, Bryam Simonsen de Oliveira, Manoel Henrique de Carvalho, Marcos Vinicios Carvalho Aguiar, Nilson Afonso da Silva Júnior, Railton Dias Gomes

Última alteração: 2018-10-10

Resumo


Introdução: Violência sexual define-se como toda relação em que um dos indivíduos é forçado a se submeter, contra sua vontade e é utilizado força física, ameaça, coerção, sedução ou influência psicológica. É um fenômeno complexo, multifatorial e universal. Objetivo: analisar o número de casos de violência sexual ocorridos no estado do Tocantins entre os anos de 2013 e 2014. Avaliar os dados conforme sexo e faixa etária e destacar alterações que ocorreram entre os dois anos. Mostrar a relevância e impacto na qualidade de vida dos afetados. Propor medidas intervencionistas para a faixa etária mais acometida. Material e Métodos: estudo epidemiológico, descritivo, retrospectivo com abordagem quantitativa sobre os casos de violência sexual ocorridos somente no Estado do Tocantins, durante os anos de 2013 e 2014. Os dados foram obtidos da plataforma de dados do Sistema Único de Saúde – DATASUS e classificados segundo faixa etária e sexo. Resultados: Foram notificados 1049 casos de violência sexual no estado do Tocantins durante os anos de 2013 e 2014, sendo que 60 deles ocorreram em indivíduos do sexo masculino, correspondente a 5,71%, e 989 do sexo feminino, equivalente a 94,29% dos casos totais. A faixa etária mais acometida foi a entre 10 e 14 anos, correspondendo a 52,43% das notificações. Além disso, denota-se a ocorrência de 10 casos em indivíduos menores de 1 (um) ano de idade durante o período descrito. Ao comparar os dois anos, houve um aumento de 63,53% no total de notificações em 2014. Conclusão: a violência sexual é um evento com efeitos deletérios para a saúde física e mental da vítima. Em curto prazo, tem-se a possibilidade de transmissão de doenças infecciosas e em longo prazo, o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos. Diante disso, é imprescindível o diagnóstico precoce para o manejo adequado e suporte a vítima. Medidas de educação em saúde também devem ser realizadas para a população, principalmente em colégios e unidades de saúde, visto que a faixa etária mais acometida apresentada neste trabalho foi de pré-adolescentes.

Descritores: Delitos sexuais. Epidemiologia. Saúde Mental. Infectologia.


É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.